CBP2

Brasil conquista 10 medalhas na Copa do Mundo de Halterofilismo Paralímpico

Terminou neste sábado, 23,  a Copa do Mundo de Halterofilismo Paralímpico, no Rio de Janeiro. A competição contou com a participação de 60 atletas de 20 países.

CBP1

Foto: Daniel Zappe/MPIX/CPB

O Brasil terminou a competição como o mais vitorioso nos três dias de provas, com 10 aparições no pódio: quatro vezes em primeiro lugar, duas em segundo e quatro em terceiro.

O campeonato serviu como teste e também como qualificatório para os Jogos Paralímpicos do Rio. Para chegar ao evento mais importante do paradesporto, os atletas masculinos precisam estar entre os oito melhores de sua categoria no dia 29 de fevereiro, data em que a lista de classificados será definida. Para as mulheres, o objetivo é ficar entre as seis mais fortes.

Quem teve muito motivo para comemorar neste sábado foi Joseano Felipe (até 107kg). Com 206kg levantados na prova, o atleta não apenas garantiu a medalha de ouro, mas também entrou na lista de classificados para os Jogos, ocupando a sétima posição.

O outro ouro do dia saiu com Márcia Menezes, na categoria unificada com atletas de até 86kg e com mais de 86kg. Para a única medalhista do Brasil em Mundiais, a meta era os 117kg, mas após levantar 110kg no primeiro movimento, Márcia não conseguiu completar o segundo e o terceiro, consolidando a carga da abertura como a válida para a competição e para o ranking.

Para Terezinha Mulato, a carga alcançada e a medalha de prata na categoria até 67kg poderiam tersido melhores, mas não tiraram a alegria do pódio. “Treinei para fazer melhor, mas toda competição é única e na hora é diferente. Eu estava preparada para bem mais, estou buscando me aproximar da vaga. Mas estou feliz com o resultado, melhorou o ranking para os Jogos do Rio”, disse Terezinha.

Na divisão mais pesada do esporte, com atletas com mais de 107kg, o Brasil teve dois representantes: José Ricardo Silva e Christian Porteiro. José terminou a disputa em terceiro ao levantar 177kg, mas sentiu dor no cotovelo direito durante o segundo movimento. O compatriota Christian finalizou a prova em quarto, ao levantar 176kg.

O mais novo dos atletas brasileiros, Matheus de Assis, celebrou a medalha de bronze como um ótimo retorno às competições. O atleta ficou sem treinar por dois meses por causa de uma punição por indisciplina em seu clube, mas se preparou bem para a Copa do Mundo e fechou o evento com um bronze e o novo recorde júnior das Américas ao erguer 166kg

As marcas alcançadas no evento contaram para o ranking que definirá os classificados para os Jogos Paralímpicos do Rio, em setembro. Além disso, também serviu como evento-teste das instalações do Parque Olímpico.

Fonte: Comitê Paralímpico Brasileiro

Fotos: Daniel Zappe/MPIX/CPB

 

Related News

Deixe uma resposta

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Todos os direitos reservados Jornal SuperaBR