recomeço2

RECOMEÇO

Recomeço

por Paulo Velasquez

Início de ano é sempre um recomeço. E com ele vêm novas esperanças, novas promessas, novos planos e, normalmente velhos sonhos.

Quais são os seus novos planos? Um novo emprego? Se for, o que exatamente você quer fazer? Já pensou que talvez seja o que você faz é que está deixando-lhe infeliz, e não onde você trabalha?  Talvez seja uma nova aparência? Perda ou ganho de peso e medidas não conseguimos de um dia para o outro. É preciso mudar os hábitos alimentares, fazer exercícios com regularidade, mas podemos começar essa mudança na cor ou corte de cabelos, no estilo de vestir-se, e principalmente na maneira de encarar a vida, uma nova vida, um novo ano, uma nova fase.

Será que o que você busca é um novo amor? Se um novo amor é sua aspiração maior, faça um balanço do que você fez no ano passado para isso, e quais as chances que você vai dar para si. Isso mesmo, você sente-se preparada (o) para um novo amor? Já resolveu consigo mesma (o) todas as pendências do passado?  Sente-se aberta (o) para deixar o novo entrar em sua vida?  Já entendeu que “Príncipe Encantado” só existe nas fantasias?  Que as pessoas não são como as idealizamos, e sim como elas são? Se já conseguiu, está bem fácil de conseguir alguém com quem tenha finidades, que haja compreensão mútua, que haja muita cumplicidade e, claro, a tal “química”.

Se o que você quer mesmo é perdoar e ser perdoada, faça isso imediatamente. Perdoe. Perdoe seu pai, sua mãe, seu irmão, sua irmã, seu ex, enfim perdoe, mas perdoe antes de tudo e, principalmente, à você mesma (o).  Se você não se perdoou, você deve sentir o pior sentimento que há: a culpa…

Lembre-se de que não teve culpa. A atitude que você tomou naquele momento foi a atitude que você decidiu ser a melhor, se o resultado obtido não foi o que você imaginou, paciência.

Esqueça o “SE”.  ‘Se eu tivesse feito isso, se eu tivesse feito aquilo, se eu tivesse falado assim, se eu não tivesse falado assado…”

O “SE” não existe. Não podemos voltar no tempo. O que podemos fazer é entender que fizemos o que pensamos ser o melhor.  Devemos nos perdoar, e se prejudicamos alguém, pedir-lhe perdão, e se fomos prejudicados, perdoar. Sem nos perdoarmos, inconscientemente pensamos que não somos merecedores de amar, de receber amor, nem de ter melhorias em nossas vidas.

Eu já me perdoei e você, já se perdoou?

Related News

Deixe uma resposta

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Todos os direitos reservados Jornal SuperaBR